quinta-feira, outubro 13, 2005

O dia depois

Mais de cem pessoas, ainda que algum méio de comunicaçom cifrava o número de assistentes na metade, manifestarom o seu rejeitamento ao acto casposo e ressesso do Paco Vázquez homenageando a bandeira espanhola. Conseguimos que se escuitara umha voz discordante numha Corunha que teima em dar umha imagem perante o mundo de monolitismo espanholista, sem dissidências de tipo algum. Estragamos-lhes o encenamento, porque a nossa presência provocou o nervosismo de muitos concorrentes ao rançoso acto institucional, que se encararom a nós fazendo o saúdo fascista e berrando "Arriba España!". Com o que ficou revelado o verdadeiro espírito do acto. Por muita correcçom política que houvesse nos discursos, e muita referência a Constituiçom Espanhola que houvesse, esse é o tipo de pessoal que assiste a actos como o organizado polo concelho da Corunha o 12 de Outubro. Forom estes elementos expulsos do acto? Nom. Assim que se tratava de um acto de exaltaçom patriótica espanhola, nada de reivindicaçom dos valores democráticos, nem nada parecido.
Por certo; parte dos manifestantes berrarom: "Paco de umha vez passa-te ao PP". Remarcar que Tourinho, depois das suas ambíguas declaraçons criticando veladamente a iniciativa do Vázquez, mas exonerando-o automaticamente, estivo presente no acto. PSOE e PP a mesma merda é, nom? Pois entom quê nos importará que este elemento esteja no PP ou no PSOE. Em essência está com quem está...com Espanha.

1 Comments:

At 11:33 AM, Anonymous Mário said...

Não, ho, Touriño estava em Madrid, não confondas as fotografias. Recomendo a leitura de La Opinión de ontem, domingo, com comentários de Rodríguez Pardo ou do próprio Barxa, Reitor da UDC. Eu tenho a impressão de que o falangista se está a cavar a sua própria tumba tentanto tapar a corrupção que se lhe sai polas orelhas.

 

Postar um comentário

<< Home