quinta-feira, dezembro 14, 2006

Urticária nas exéquias de um ditador

Como sabe todo o mundo mínimamente informado, Pinochet chegou ao poder em 1.973 trás um golpe de estado urdido contra um governo democraticamente elegido (o que presidia o socialista Salvador Allende). Precisamente por isso, Pinochet, por muito que a imprensa burguesa teime em fazer paralelismos, nada tem a ver com Fidel Castro (que por certo era amigo pessoal de Allende). Fidel Castro tomou o poder derrocando a um golpista; Fulgencio Batista fixo-se cárrego da presidência da República em nome da constituiçom e dos valores republicanos, mas a sua deriva totalitária e pro-mafiosa encontrou como reacçom a Revoluçom cubana. A desmemória que promovem alguns é escandalosa.
Muito de destacar o cinismo de certos méios, que pretendiam vender um certo "propósito de emenda" por parte dos USA, para que "o de Chile nom se voltasse repetir". Já veremos quais serám as artimanhas que utilizem os gendarmes universais contra os novos "protestons", leia-se Bolívia, Nicarágua, Equador, Venezuela...

3 Comments:

At 12:03 PM, Anonymous moucho_branco said...

Na COPE non perderon tempo en aclarar que o golpe de estado de Pinochet fora un contra-golpe contra o que de facto xa dera a esquerda.... :S

 
At 5:12 PM, Blogger Sergy said...

Já se respira melhor no mundo!:D

 
At 3:31 PM, Anonymous Anônimo said...

Si, cona, Pinochet salvounos do comunismo. O que hai que oír. Que descanse, que facer cousas xa fixo ben aquí.

Saúdos

 

Postar um comentário

<< Home