quinta-feira, janeiro 20, 2005

As outras vozes de América Latina

Sempre me sentim atraido polas músicas extremas: o punk, o hardcore, o metal, o streetpunk, o Oi!...o rock radical basco puxo banda sonora à minha adolescência. Nas nossas "latadas" em tempos do ensino secundário, sempre lembro as cervejas e os charros na praia, com a música de fundo de Vómito, Eskorbuto, Kortatu ou La Polla. Alternavam estes grupos os seus passos polas pletinas com outras bandas como Barricada, Rosendo, Los Suaves, Barón Rojo, Leño, Iron Maiden, Ramones, Sex Pistols, Toy Dolls...e algumha maqueta adquirida nos postos de venda de material alternativo o 25 de Julho em Compostela, ou no local da CGT no antigo edifício de sindicatos, onde tinha o seu recuncho o colectivo Resisténcia Anarquista, do que fazia parte um companheiro habitual de fogidas, o Alfonso Diéguez. Lembro que eram os primeiros anos de andamento de bandas como Negu Gorriak ou Soziedad Alkohólika. Na comarca da Corunha trunfavam bandas como Abarrote no Parrote, Os Verjalhudos, La Bergüenza, Xentalla, Frustradicción (que começarom os seus passos como Distorsión Krónika...)
Mas eu quixera ter um recordo para bandas que também forom importantes e que nos fixerom olhar de outra maneira para América Latina. Antes das olimpíadas de Barcelona de 1992, tanto no estado espanhol como em América e Portugal puxo-se em marcha um grande movimento de protesto contra os fastos do Quinto Centenário do "Descobrimento" do "Novo Continente". Lembro que o ano precedente ao 92 foi de umha grande efervescência desse movimento e que no verao de 91 chegou às minhas maos umha demo que me abriu a janela a um mundo novo. Até entom, de América Latina conhecia o que todo o mundo; cantautores como Pablo Milanés, Silvio Rodríguez, Víctor Jara, Gilberto Gil...mas o meu amigo Xurxo Fernández Sánchez (Xurxo Breixo para os amigos, hoje técnico de som na Radio Galega) comprara no Dia da Pátria, no posto da distribuidora Treboada, umha fita intitulada "Rock subterráneo contra el Quinto Centenario" na que descobrim a Todos tus Muertos (a mítica banda argentina) e a Sedición (nom menos mítica banda mexicana à que muito depois puidem ver em directo e com cujos membros puidem conversar). Aliás, os peruanos Alvacast e outras andas de Venezuela, Chile ou Nicaragua. Os seus estilos iam desde o reagge até o punk mais acelerado, passando polo rock urbano e o heavy metal. Umha cançom que me deixou marcado pola sua sinceridade e crueça sobrecolhedora foi "Barrio Mil Calles" de Alvacast. Essa fita despertou em mim um grande interesse polo que se fazia ao outro lado do Atlántico, e sempre fum, à partir de entom, na procura de material, nom sempre facilmente acessível, sobre bandas latinoamericanas. E fum conhecendo bandas como Ratos de Porao (Brasil) Garotos Podres (Brasil) Ratax (Perú) Os Cabelo Duro (Brasil) Penadas por la Ley (Argentina) Fun People (Argentina) - Estes tocarom em Oleiros!!! Na Ocupa da Ria!!! Inesquecível...- Todos tus Muertos (Argentina) Sedición (México) Vantroi (México) Garaje H (Cuba) etc. Alguns deles atravesarom o Atlántico da mao de discográficas do estado espanhol, como Fragment!, W.C. Records ou Ezan Osenki. Alguns aproveitarom para emigrar e provar sorte por aquí. Penadas por la Ley estám actualmente afincadas em Bilbao e funcionam com o ex-baterista de Garaje H. Algum dia darei umha pequena mostra do que estas bandas deziam nas suas letras.

4 Comments:

At 2:04 PM, Anonymous Anônimo said...

Se aceitas uma contribuição, aí vai um grito sufocado da sociedade, que aqui, no Brasil, se digladia com a violência urbana, às vezes marcadamente policial. Dos Ratos de Porão o grito é:

AGRESSÃO/REPRESSÃO

É preciso mudar o sistema policial
Porque eles estão matando a pau
Gente decente
É preciso mudar o sistema policial
Porque eles estão matando a pau
Gente inocente
Em vez de proteger a população
Vivem agredindo algum cidadão
Sem nenhuma razão
Agressão/Repressão - 2x
É preciso mudar o sistema policial
Já estamos cansados de agressão
Agressão/Repressão - 2x

 
At 11:45 PM, Blogger Loba said...

Que bom ler este post! Uma bela homenagem a bandas pouco conhecidas mas que significaram muito em seus países e até mesmo em alguns outros do exterior. Esta banda Rato do porão tem músicas interessantíssimas. Entre elas, Terror declarado. Uma letra forte e contestadora do terror espalhado pelo mundo. Legal. Adorei. Beijocas

 
At 4:42 PM, Blogger mariah1979 said...

Meus gostos musicais são muito diferentes... mas achei bem interessante o post. Beijos.

 
At 6:09 PM, Blogger Marc Campdelacreu said...

Els grups de música, les lletres i les cançons passen a formar part de la història. Els que sorgeixen enmig de situacions conflictives i repressives ens ensenyen moltes coses sobre la nostra història i les dels seus països. Coneixo alguns dels grups que has dit, algun del País Basc i d'Amèrica Llatina. A veure si algun dia penges alguna de les seves lletres!

 

Postar um comentário

<< Home